Home » Palestina: Paz, Sim. Apartheid, Não by Jimmy Carter
Palestina: Paz, Sim. Apartheid, Não Jimmy Carter

Palestina: Paz, Sim. Apartheid, Não

Jimmy Carter

Published May 2007
ISBN :
Hardcover
232 pages
Enter the sum

 About the Book 

Depois do livro Os Valores em Perigo, o ex-presidente, vencedor do Prémio Nobel da Paz, oferece-nos agora uma análise do que deve ser feito para garantir paz digna e permanente a Israel e justiça à Palestina.O Presidente Carter, que teve aMoreDepois do livro Os Valores em Perigo, o ex-presidente, vencedor do Prémio Nobel da Paz, oferece-nos agora uma análise do que deve ser feito para garantir paz digna e permanente a Israel e justiça à Palestina.O Presidente Carter, que teve a capacidade de negociar a paz entre Israel e o Egipto, manteve-se activamente ligado aos assuntos do Médio Oriente depois de ter deixado a Casa Branca. Esteve sempre em contacto com os protagonistas de todas as partes em conflito e efectuou numerosas viagens à Terra Santa, entre as quais, recentemente, uma visita à Palestina, como observador, nas eleições de 2005 e de 2006. Neste livro, partilha o seu conhecimento pormenorizado da história do Médio Oriente e as suas experiências pessoais com os protagonistas da região e analisa as questões políticas mais sensíveis que muitos dirigentes e altos funcionários americanos têm evitado. Sem vacilar, recomenda os passos que devem ser dados pelos dois Estados que dividem entre si a Terra Santa — Israel e a Palestina — sem que se instaure um sistema de apartheid ou que se mantenha o medo constante do terrorismo. Conhecem-se os parâmetros gerais a que deve obedecer um acordo de longo prazo entre os dois Estados, escreve o presidente. Não haverá uma paz substantiva e permanente para nenhum povo nesta região tão perturbada, enquanto Israel continuar a violar as resoluções das Nações Unidas, a contrariar a política oficial americana e o Roteiro internacional para a Paz, ocupando terra que pertence aos Árabes e oprimindo os Palestinianos. As fronteiras oficiais de Israel, anteriores a 1967, devem ser respeitadas, com excepção de modificações que possam ser negociadas e mutuamente aceites. E os líderes governamentais dos Estados Unidos devem estar na linha da frente para alcançar o objectivo, há muito adiado, de um acordo justo que possa ser honrado e cumprido por ambas as partes, tal como sempre tem acontecido com todos os governos dos EUA desde a fundação de Israel. Este é um livro corajoso, que nos desafia e que nos faz pensar.